Caso Desciclopédia

Vereador rosariense irrita-se com Desciclopédia

E a Desciclopédia fez mais uma vítima. Um dos vereadores da cidade gaúcha de Rosário do Sul foi até a rádio local nesta quinta-feira protestar sobre um site “ofensivo” a cidade. O vereador citou algumas das “piadas” feitas no site como se fossem delcarações sérias e pediu inclusive manifestação do Defensor Público para que aquela página fosse removida do ar.

O grande problema é que o vereador não percebeu que o verbete que o chocou por fazer piadas sobre a cidade e alguns moradores é na verdade uma grande gozação. A Desciclopédia, que teve origem nos Estados Unidos em janeiro de 2005 e é escrita de maneira sarcástica e pejorativa, não passa de uma paródia da enciclopédia online Wikipédia. A versão nacional da Uncyclopedia foi criada em agosto de 2005.

Espero que o “mal entendido” seja esclarecido e que o vereador se informe um pouco mais sobre internet para não cometer gafes como essa. Lamentável.

Caso Rosário-Desciclopédia: Esclarecimentos

Publicado originalmente em 18 de maio de 2010

Semana passada comentei sobre a indignação de um vereador rosariense sobre o verbete da cidade na Desciclopédia. Como fui citado por ele em plenário, retomo o assunto. Primeiro gostaria que vissem o vídeo contendo o áudio da sessão da câmara de vereadores da cidade de Rosário do Sul ocorrida na última segunda-feira:

Sobre o vereador ter sido “agraciado no mesmo site” ele comete uma gafe, já que o Simulações – de autor identificado, não possui ligação com a página canadense. Na verdade, apenas tentei esclarecer ao vereador que a Desciclopédia se trata de uma paródia, uma brincadeira e não deve ser levada a sério. Jamais quis debochar do vereador, que merece todo o meu respeito. Na verdade, a minha intenção foi esclarecer do que a página tratava e noticiar o acontecido para os leitores do Simulações, já que sou jornalista.

Quando o vereador menciona o Simulações ele utiliza essa frase do post anterior: “o verbete que o chocou por fazer piadas sobre a cidade e alguns moradores é na verdade uma grande gozação.” e diz que é gozação pois não é comigo. Me perdoe vereador, mas sou rosariense e se o verbete fala da minha cidade creio que fale de mim também. E mais senhor vereador, eu me identifiquei. O texto que extraiu a frase referida está assinado com meu nome e com um link para contato.

Jamais disse que “essa é a maneira que tenho de ser sarcástico e tratar pejorativamente a função das pessoas”. Também nunca lamentei o mal entendido, na verdade o que disse foi isso: “Espero que o “mal entendido” seja esclarecido e que o vereador se informe um pouco mais sobre internet para não cometer gafes como essa. Lamentável.”

Quando peço para “se informar melhor sobre internet” talvez não tenha sido claro, mas queria somente pedir atenção quando existe dúvida sobre algum conteúdo da web. Devemos verificar a procedência desse conteúdo para que algo equivocado não tome proporções que não merecem. Não concordo com o que está publicado lá, porém entendo que está publicado no lugar certo, deixando a página original de Rosário do Sul na Wikipédia com informações corretas.

Enfim, o que quis foi evitar que a gafe se prolongasse, porém o que li na Folha Rosariense é que foi enviada uma solicitação ao Google, o que mostra o nível da confusão, já que o Google nada poderá fazer para que a página da Desciclopédia seja retirada do ar.

De qualquer maneira fico aberto para diálogo e peço desculpas caso não tenha sido entendido como gostaria no post anterior.

Aos Rosarienses

Publicado originalmente em 21 de maio de 2010

“O que me preocupa não é o grito dos maus. É o silêncio dos bons” – Martin Luther King

Venho através desta nota esclarescer alguns fatos e auxiliar a sociedade desta estimada cidade na compreensão do que realmente está acontecendo.

Antes de tudo, ressalto que nasci em Rosário em 1986, cresci e morei aqui até meus 15 anos. Estudei durante nove anos no extinto colégio Nossa Senhora do Horto, estudei mais um ano na escola Plácido de Castro antes de me mudar para a cidade de Porto Alegre onde resido desde 2002. Mesmo longe, não rompi os laços com minha cidade natal.

Na Capital, conclui meu ensino médio e cursei jornalismo em uma das mais respeitadas faculdades de comunicação social do país. Em nenhuma dessas escolas fui considerado um aluno problemático, pelo contrário, sempre fui exemplo segundo meus professores. É em nome da minha família, dos meus professores, dos meus amigos e em nome da minha carreira profissional que busco reestabelecer a verdade.

Na quinta-feira, dia 13 de maio, fui informado sobre as declarações do vereador Rogério Azevedo (PTB) na Rádio Marajá. Nela, o nobre político mostrava indignação com uma página que difamava a cidade. Neste momento, não houve nenhuma referência direta a qualquer endereço de website.

Em virtude de ser um assunto de interesse, descobri que na verdade o material em questão está publicado na Desciclopédia. Surpreso com o alarde feito, já que a página estava em um site humoristico de fama internacional, alertei os meus familiares sobre isso e repassei o endereço a eles. Logo após escrevi sobre o fato em meu site pessoal, que mantenho desde 2006. Tentei esclarecer os leitores de que a página era uma piada e que não deveria ser levada a sério.

Por utilizar a Internet há algum tempo, conheço a Desciclopédia e o seu tom humorístico, porém nunca colaborei com tal projeto. Isto pode ser comprovado na página que armazena todas as versões e nomes de usuários que realizaram alguma alteração no referido domínio.

Infelizmente, o representante do nosso povo confundiu a Desciclopédia com o Simulações. Assim, inclusive utilizou os meios de comunicação para, sem provas e de forma caluniosa, ligar o meu nome ao verbete virtual de Rosário. É curioso observar que justo na busca pela veracidade dos fatos, no momento da verdadeira apuração, afirmações amadoras e sem as devidas referências foram repercutidas. Na busca por um suposto delito, fui vítima de uma difamação grosseira.

Jamais editei um verbete da Desciclopédia. Jamais falaria mal da cidade que me criou e que moram pessoas fundamentais para a minha existência. Jamais difamaria categorias importantes para o município. Categorias essas que respeito, que tenho parentes, amigos.

Posto isto, informo que já conto com os devidos registros das manifestações realizadas e os mesmos serão utilizados nas eventuais providências legais. Lamento profundamente a falta de ética, a inexistência na apuração dos fatos e a divulgação de informações sem sentido e mentirosas. Mesmo neste imbróglio, tenho a sorte de ter possibilidades e meios – sejam comunicacionais ou legais – para buscar a reparação e divulgar o real conhecimento. Imagino que o mesmo transtorno pode ser observado no futuro com questões mais sérias presentes em nossa sociedade, estas sim que requerem o devido esforço dos nossos representantes.

Assim, espero que as pessoas tenham mais cuidado tanto ao produzir e divulgar conteúdo, seja de denúncia ou não, sobre cidadãos de bem de maneira equivocada. Desejo sorte a todos nós rosarienses.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: