E quando sua casa deixa de ser seu porto seguro?

E quando sua casa deixa de ser seu porto seguro?

O relato a seguir é real e me assusta, mas o meu medo é infinitamente menor do que o sentido pela minha namorada nos últimos meses.

Minha namorada mora no último andar, do último bloco, de um conjunto de apartamentos na zona norte de Porto Alegre. Esse condomínio está situado ao lado do shopping Bourbon Assis Brasil e conta com portaria 24h. O apartamento é seguro, pois a probabilidade de invadirem o local e conseguirem fugir é extremamente baixa.

Foto: Blog Simullações

Entretanto os perigos não estão do lado de fora do condomínio, mas sim no apartamento na diagonal ao que ela ocupa. Antes de contar o caso é preciso entender a arquitetura do prédio. As janelas da cozinha, sala e quartos são voltadas para um pátio interno. Na diagonal está o corredor que conta com três lances de escada e janelas para iluminação e ventilação do ambiente.

Minha namorada dividia o apartamento com uma amiga. Em abril do ano passado, em um dos nossos primeiros encontros, minha namorada percebeu que havia alguém nos espiando pela janela do corredor. Isso foi possível pois o sensor detectava movimento e acendia a lâmpada.

Isso poderia ser um caso isolado, mas não. Não foi uma “espiadinha”. Deste momento em diante um dos vizinhos começou a vigiar o apartamento da minha namorada de maneira sistemática. Além disso ele diversas vezes se aproximou da porta do apartamento e ficou parado tentando escutar o que falavam ali dentro.

Minha namorada e a amiga dela começaram a encarar o perseguidor. Chamaram sua atenção diversas vezes. Um outro vizinho, colega de trabalho da minha namorada, também chamou a sua atenção em varias ocasiões. A polícia foi chamada algumas vezes. O síndico foi avisado e, na última semana, gravou imagens aterrorizantes de um cidadão completamente atormentado.

O grau de perseguição é tanto que ele chega por volta das 22h e, antes de entrar em casa, fica tentando espiar para o apartamento de minha namorada.

As imagens mostram ele parado no corredor, esperando a luz apagar. Ele parado com o ouvido grudado na porta dela tentando ouvir. No dia que essas imagens foram captadas pelo síndico, ela estava sozinha em casa. A amiga já não mora mais com ela.

Minha namorada se sente insegura dentro de sua própria casa. Não é um perseguidor online, é uma ameaça real, alguém próximo, te importunando todos os dias. Invadindo a tua privacidade de forma vil e covarde, até pois quando é desafiado ele foge. Isso que tem acontecido me revolta, enjoa…

Observações:

  • A imagem que ilustra esse post é uma captura de tela de um dos vídeos gravados e está com o rosto do cidadão borrado para efeitos legais.
  • Os nomes foram preservados por questão de privacidade e respeito às vítimas.
  • Caso deseje mais informações é só enviar uma mensagem pela área de contato deste blog.

Foto de destaque via SalTheColourGeek/ Flickr

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: