Gonzaguinha: muito além de “O que é o que é?”

Luiz Gonzaga do Nascimento Júnior, o Gonzaguinha, morreu em 1991 em um acidente de carro no interior do Paraná aos 46 anos. Começou sua carreira em 1971, mas lançou seu primeiro disco em 1973 com seu nome – Luiz Gonzaga Júnior. Deste disco temos Comportamento Geral, Moleque, Palavras entre outras. No segundo disco de 1974 Gonzaguinha canta Amanha ou Depois e Galope, além de mais oito faixas. Em 1975 lança Plano de Voo, entre as músicas apresentadas estão Tá Certo, Doutor; Gás Neon e Geraldinos e arquibaldos.

No ano seguinte rompe com seus empresários e descobre que está com Tuberculose. Se recolhe por oito meses, nesse tempo produz o disco Começaria tudo outra vez. No álbum tem Espere por mim, Morena; Chão, Pó, Poeira; Começaria tudo outra vez e Um sorriso nos lábios. Já assinando como Gonzaguinha lança Moleque em 1977. Faixas como Dias de Santos e Silvas, Teatro de Revistas, O que importa?, Por aí e Festa.

Gonzaguinha lançou entre 1973 e 1991 dezessete discos. Além dos já citados temos Recado (1978), Gonzaguinha da vida (1979), De volta ao Começo (1980), A vida do viajante; esse lançado ao lado de Gonzagão, (1981), Coisa mais maior de grande – Pessoa (1981), Caminhos do Coração (1982), Alô Alô Brasil (1983), Grávido (1984), Olho de Lince – Trabalho de parto (1985), Geral (1987), Corações Marginais (1988) e Luizinho de Gonzagão Gonzaga Gonzaguinha (1990), também com a participação de seu pai, Gonzagão, morto em 1989.

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

A música de maior sucesso do cantor, O que é o que é?, é de 1982 do disco Caminhos do Coração. Nesse mesmo LP Gonzaguinha apresenta canções como Filho da Própria, Ô boy (Amar é…); Ser, fazer, acontecer e Caminhos do Coração (Pessoa = Pessoas). Gonzaguinha é um poeta de letras fortes, cheias de ironias. A cidade contra o crime, Comportamento geral e Um Sorriso nos lábios, são exemplos dessa ironia e revolta contra a ditadura (Vale destacar também a força de “Amanha ou Depois” ainda na temática “Ditadura militar”).

Porém o filho de Gonzagão e Odaléia Guedes também escreveu o amor em suas canções. Ponto de Interrogação, Grito de Alerta, Lindo lago do amor são exemplos dessas canções. Por todas essas fantásticas composições, Gonzaguinha é muito maior do que “O que é, o que é?”. Não que essa música não seja bela, mas a popularidade atingida por ela acaba prejudicando, ao meu ver, outras letras maravilhosas do artista.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: