O “Rei da Chuva e da Noite” surge em um álbum ensolarado e belo

Em um país onde o Rock não figura na lista das 100 mais tocadas do ano, Lobão conseguiu, através de financiamento coletivo, arrecadar fundos para um disco memorável. Dez anos depois de Canções Dentro da Noite Escura, João Luiz retorna com um álbum de inéditas denso, pesado e apavorantemente belo.

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

O Rigor e a Misericórdia têm 14 faixas inteiramente tocadas por Lobão. O disco foi lançado no último dia 8 de janeiro, está disponível nas principais plataformas de streaming. A distribuição está a cargo da Tratore.

Nos dez anos que separam Canções de O Rigor e a Misericórdia Lobão não esteve parado. Lançou dois discos ao vivo – o premiado Acústico MTV e Lino, Sexy e Brutal, e dois livros – sua autobiografia 50 anos à mil e o Manifesto do Nada na Terra do Nunca. Nesse período também foi apresentador da MTV Brasil e participou do programa A Liga, na Band.

Pode não se concordar com Lobão, mas é impossível ignorá-lo. Mesmo com a sua militância anti-PT tendo ganho destaque nos últimos anos, o artista não deixou sua posição contra o governo contaminar as letras de seu disco, exceto nas faixas A Marcha dos Infames e A Posse Dos Impostores. Nada que fuja da história do cantor, que em 1991 lançou Presidente Mauricinho, no álbum O Inferno é Fogo, só para dar um exemplo.

Paralelo a feitura do disco Lobão escreveu seu terceiro livro, Em busca do rigor e da misericórdia: reflexões de um ermitão urbano. Nele o artista conta todo o processo para a realização deste álbum de uma maneira extremamente carinhosa, afetiva, humana. Aos que querem conhecer muito sobre o processo criativo do músico a leitura deste livro é fundamental. O pessoal do Indique Um Livro fez uma bela crítica ao exemplar.

Antes de comentar sobre o disco, quero deixar claro que são impressões minhas, o que senti ao ouvi-lo. Uma crítica mais apurada está no facebook do pessoal da Resenhas Sinceras.

A primeira canção do álbum que ouvi foi Ação Fantasmagórica à Distância em janeiro de 2014. Uma versão demo lindíssima e emocionante que o cantor havia postado em seu Tumblr. Impossível segurar as lágrimas. Depois as demos apresentadas – Os Vulneráveis, A Marcha dos Infames e A Posse dos Impostores. Todas com um teor político em maior ou menor escala.

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Logo que o disco foi disponibilizado corri para devorá-lo. Tinha curiosidade de saber como havia ficado Ação na versão elétrica. Ela continua tão bela e emocionante como da primeira vez que ouvi. Outras canções acabaram também me encantando. Alguma Coisa Qualquer, escrita em 1997 para Cássia Eller é maravilhosa. É um pecado que uma das maiores cantoras do país não tenha chegado a gravar essa belíssima obra.

Assim Sangra a Mata pode ser vista como um Hino em homenagem a Mariana e aquele absurdo que aconteceu em Minas Gerais. Uma Ilha na lua é uma linda canção de amor e quem tem gatos vai se apaixonar. Dilacerar é fortíssima, uma das minhas preferidas. Talvez a única que eu tenha um pouco de resistência, nesse momento, seja a canção em espanhol O Que Es La Soledad en Sermos Nosotros, estou doido para ouvir a versão em português.

Destaco, para encerrar, três faixas: Profunda e Deslumbrante Como o Sol, A Esperança É a Praia de Outro Mar e O Rigor e a Misericórdia. O “Rei da Chuva e da Noite” compôs, nesse trio, canções em homenagem ao dia, ao sol, a vida, a eternidade, a esperança… Aos 57 anos, Lobão está consigo mesmo e na sua melhor fase, seu disco deverá estar nas listas de melhores do ano.

Ouça O Rigor e a Misericórdia

Tratore: http://www.tratore.com.br/cd.asp?id=7898614905100
iTunes: http://itunes.apple.com/us/album/id1068897086
Spotify: http://open.spotify.com/album/15S4UCrGu36rKG1lUKkeCo
Deezer: http://www.deezer.com/album/12006112
Google Play: https://play.google.com/store/music/album?id=Bqknk36besryyzofqimptstmwce
Napster: http://br.napster.com/artist/lobao/album/o-rigor-e-a-misericordia

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: