“Só os loucos sabem…” – Morre Chorão, aos 42 anos

Foi encontrado morto na madrugada desta quarta-feira o cantor, compositor e líder da banda de rock Charlie Brown Jr, Chorão.

Alexandre Magno Abrão tinha 42 anos e sofria de depressão, segundo pessoas próximas ao cantor. Sua prima, a apresentadora Sônia Abrão, declarou que ele reclamava de solidão. O cantor estava separado faz cerca de seis meses da estilista Graziela Gonçalves. A causa da morte ainda não foi revelada, suspeita-se de overdose.

Chorão criou o Charlie Brown Jr. em 1992, porém a banda só gravou o primeiro álbum em 1997 – Transpiração continua e prolongada. A formação original com Chorão, Champignon, Marcão, Pelado e Thiago Castanho durou até 2000 e resultou em mais dois discos Preço curto… Prazo longo – 1999 e Nadando com os Tubarões – 2000. Sucessos como Ô coro vai comê!, Tudo que ela gosta de escutar, Aquela paz, Quinta-feira, Proibida pra min (Grazon) estavam no primeiro disco. Já em Preço Curto os sucesso foram Confisco, Zóio de Lula, Te levar, O preço e Não deixe o mar te engolir. Nadando com os tubarões apresenta Rubão, Não é sério, Tudo mudar e A banca.

Em 2001 Thiago Castanho deixa a banda. Neste ano é lançado 100% Charlie Brown Jr. – Abalando a sua fábrica, e hits como Hoje eu acordei feliz, Sino dourado, Quebra-Mar, Lugar ao Sol, Só lazer, T.D.F.P., Tudo pro alto, Como tudo deve ser tomam conta das rádios. No ano seguinte o álbum Bocas Ordinárias chega ao mercado com mais uma leva de sucessos, entre eles estão a regravação de Baader-Meinhof Blues, do Legião Urbana. No mesmo disco têm Papo Reto (Prazer é sexo, o resto é negócio), Hoje eu só procuro a minha paz e Só por uma noite.

No mês de Agosto de 2002 é gravado o Acústico MTV, lançado no ano seguinte. Desse disco destaque para as, então inéditas, Vícios e Virtudes e Não uso sapato, além das participações de Marcelo Nova, na regravação de Hoje, Marcelo D2, em Samba Makossa, Negra Li, em Não é sério, e do RZO em A banca.

Mesmo em crise após o trabalho acústico a banda lança Tamo aí na atividade em 2004. O maior sucesso do disco é Champanhe e água benta que conta ainda com Tamo aí na atividade e Longe de Você. O conjunto acabou não resistindo a crise e apenas Chorão continuou na banda, que contou com o retorno de Thiago Castanho. Com a formação completamente modificada é lançado Imunidade Musical. O álbum é marcado por canções como Lutar pelo que é meu, Ela vai voltar (Todos os defeitos de uma mulher perfeita), Senhor do Tempo, Dias de lutas Dias de glória e da versão de Pra não dizer que não falei das flores, de Geraldo Vandré.

No ano de 2007 chega as lojas Ritmo, Ritual e Responsa e mais sucessos somam-se a carreira da banda. Pontes indestrutíveis, Não viva em vão, Be Mayself, Direto e reto sempre e Uma criança com o seu olhar são os novos hinos da banda de Santos. Em 2009 o Charlie Brown troca de gravadora e assina com a Sony Music. Lançando Camisa 10 (Joga bola até na chuva) com uma música composta por Chorão para Cássia Eller e que acabou não sendo gravada pela cantora que faleceu em dezembro de 2001 – O dom a inteligência e a voz. Além dessa canção fizeram sucesso Me encontra e Só os loucos sabem. Esse é o último disco de estúdio gravado pelo grupo.

Com o retorno de Marcão (guitarra) e Champignom (baixo) ao grupo que conta com Thiago Castanho (Guitarra) e Bruno Graveto (Bateria) grava ao vivo Música Popular Caiçara com participações especiais de Marcelo Nova, Marcelo Falcão e Zeca Baleiro. No CD clássicos da banda são apresentadas com a releitura de Coração Satânico da Camisa de Vênus. A única música deste trabalho que é gravada em estúdio é Céu azul. Em 2012 Chorão participou do disco de Zeca Baleiro na faixa O Desejo.

Alexandre Magno chegou a roteirizar dois filmes, um pronto – O Magnata, e um em fase de produção – O Cobrador. O cantor ainda era dono de um pista de Skate – Chorão Skate Park, na sua cidade do coração.

Confira a nota publicada no site oficial da banda:

A Família de Alexandre Magno Abrão comunica o seu falecimento na manhã do dia 06 de março de 2013. Estamos unindo nossas forças para superar a dor da lamentável e intempestiva perda.

O nosso saudoso “Chorão”, além do conhecido músico, respeitado pelo mundo artístico, era excelente chefe de família e pai amoroso. Por estas razões sua prematura morte está sendo sentida por todos que o amavam.

Este não é o momento para se manifestar sobre as causas da sua morte. O momento é de dor, lembrança e homenagem à sua condição de homem que se dedicava a proporcionar alegria a todos que com ele convivia.

Agradecemos todas as manifestações de carinho e solidariedade por parte dos amigos, dos seus fãs e dos meios de comunicação.

O velório acontecerá na Arena Santos, localizada na Rua Rangel Pestana, 184, Vila Matias, em Santos, a partir das 20h de hoje.

O sepultamento acontecerá no dia 07/03 às 15h.

Equipe CBJR

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: