Um “pequeno” depoimento

Um “pequeno” depoimento

Eu tive um quadro de depressão muito intenso na metade da década passada. Um disco que amenizava a situação era o Acústico MTV do Lobão. Essa noite não segurou a barra em momentos complicados de 2007. Porém outros dois discos ajudaram muito naqueles dias nublados. O A vida é doce e o Canções dentro da noite escura. Os três agora estão disponíveis nas plataformas digitais.

A vida é doce (Universo Paralelo, 1999), abre com El Desdichado, a mesma música que abre o Acústico MTV (UP/ Sony, 2007). A frase de abertura é espetacular.

“Eu sou o tenebroso, o irmão sem irmão,
O abandono, inconsolado,
O sol negro da melancolia”

No refrão:

“Eu sou o Nada e é isso que me convém
Eu sou o sub-do-mundo e o que será que me detém?”

A terceira faixa do álbum é Para onde você vai. Outra que aparece no Acústico. Para quem saia de um relacionamento complicado e via “no espelho… a própria dor de lembrar” e a perda do pouco peso que se tinha esse trecho pega em cheio.

A quinta faixa dá nome ao Álbum. A vida é doce. Toda a letra é um hino. Ela também está no Acústico. Destaque para essa parte da música:

“E de repente o telefone toca e é você
Do outro lado me ligando, devolvendo minha insônia
Minhas bobagens, pra me lembrar que eu fui a coisa mais brega
Que pousou na tua sopa. Me perdoa daquela expressão pré-fabricada
De tédio, tão canastrona que nunca funcionou nem funciona
Me perdoa,
Me perdoa, a vida é doce,
Me perdoa, me perdoa, me perdoa…”

A faixa seguinte é uma parceria do Lobão com o Zeca Baleiro. Uma delicada forma de calor é outra música de rara beleza. “Agora, num dia em que eu choro/ Eu tô chovendo muito mais do que lá fora/ Lá fora é só água caindo/ Enquanto aqui dentro, cai a chuva” a dor que essa letra exala é visível. Ela finaliza com essa estrofe:

“E como um deus que não se vence nunca
O seu olhar não consegue perceber
Como uma chuva, uma tristeza, podem ser uma beleza
E o frio, uma delicada forma 
De calor”

Mais na finaleira do disco está Vou te levar. É uma linda canção de amor, embora a mais bela canção de amor do João Luiz seja, a meu ver, Por tudo que for. Vale dar uma olhada na letra toda de Vou te levar. Sem trecho dela neste post.

A penúltima canção do disco é Mais uma vez. E, sem dúvida alguma, “ás vezes é melhor deixar o grito escapar/ Ás vezes é melhor perder o controle e desabar, e quebrar todas as promessas e atacar!”.

Canções Dentro da Noite Escura (UP – 2005) é recheado de belas letras. O disco começa com Pra sempre essa noite, na sequência vem Seda, uma parceria póstuma do Lobão com Cazuza. Essa música ganhou uma nova roupagem em 2017. Mais pesada, densa.

A quarta faixa do álbum é uma homenagem para Cássia Eller, como Lobão relata na autobiografia. Escrita em Cachoeira do Sul, RS, Boa Noite, Cinderela é de uma força espetacular. Destaco o trecho final:

“Eu só queria cantar mais um pouco
Pra te ter mais um pouco
Pra te ter um pouco mais
Nessa noite escura”

O Homem-Bomba é a quinta faixa. Tudo pesado. O desespero na voz. Isso na minha cabeça depressiva foi uma pancada. Era preciso extravasar.

“Mais uma noite que não vai terminar
Mais uma noite no meio do nada
Flashback da vida queimando na veia
É tudo que me resta nessa madrugada”

(…)

“Mais uma vez outra promessa quebrada
A minha foto vai lembrar minha cara
Mais um momento e a noite me tem pra sempre
É tudo o que me resta nessa madrugada”

(…)

“O desespero é uma espécie de devaneio
Enquanto o ódio devora o que sobrou de um menino”

Mais uma vez é a faixa seguinte. Eu acho lindo o verso que diz: “Mais uma noite sangra na cortina”. Sensacional! Também vale citar: “E você sabe/ Agora é tarde/ Chega de verdade/ Pois a gente tem o mundo inteiro pela frente/ Cheio de incertezas”. Temos, ne?

A próxima faixa Lobão escreveu para sua esposa, Regina, enquanto estava viajando pelo nordeste brasileiro. Ela é uma linda declaração de amor. Digo isso primeiro porque a canção abre com “As vezes eu me sinto um fantasma” e eu me identifico muito com ela. Quem nunca se sentiu um fantasma? Imagina então um depressivo ouvindo, a versão do acústico primeiro, essa frase?

“E as ondas vêm me cobrir na noite escura
Às vezes eu não sei se é a noite
Ou se é a vontade de te ter agora
Agora
Eu penso em você e sinto a tempestade
Desabar por dentro e por fora
Eu penso em você e sinto toda a vontade do mundo
De te ter agora, agora
Você
Agora”

Balada do Inimigo é a oitava música do álbum. Eu gosto muito dessa música. Inclusive o trecho “Não há estilo sem fracasso” está no meu facebook. <3

“E o impossível é uma droga perigosa o bastante
Para se inventar a fé
Para se acreditar na fé
Em alguma salvação

(…)

Talvez algumas lágrimas
Nos tornem um pouco mais inchados e vazios
É rapa…
Não há estilo sem fracasso

(…)

E a devastação da vida
Uma declaração de amor”

Tranquilo é outro hino. Toda a letra é uma paulada. Precisava de forças para fazer coisas mínimas, para me encarar no espelho, para encontrar os amigos, para seguir vivendo. “Tudo o que eu carrego é o meu destino/ E é só/ Por onde quer que eu vá/ Eu vou tranquilo/ Por onde quer que eu vá”. <3

“Entre o céu e as sombras
Eu invento o mundo
Que os sonhos me deram e assim eu sou feliz
E o medo me ensinou
Como se ter coragem
Coragem
E pela estrada afora, pela estrada afora
Eu vou
Com a alegria de uma aventura
E é só”

Quente, outra que está no acústico de 2007, é um raio de sol no meio da noite escura. É possível acreditar no amor. Afinal, “qualquer dia da semana um coração vazio se enche de amor”.

“Encher nosso copo corpo quente com luz seduz
Num coração com varanda, vista pra frente e jardim
E tudo isso cabe num barracão
Lua que fura e ilumina zinco quente
Eu e você, nossas roupas comuns
Iluminadas pela mesma luz de um lampião
Já passou, não passou
Outro sol, outro”

A penúltima música do disco é Não quero o seu perdão. Música do Lobão para poema do Júlio Barroso. Se já tiverem cruzado com a versão do Barão vermelho, esqueça, esta é a definitiva. A poesia do Júlio ganha outra dimensão na voz do Lobão. Ah! O Lobão usou um verso do poema original que foi descartado pelo Barão. Que baita música.

“Não me faça pensar que vai ser tudo igual
Pois você sabe muito mais do que ninguém
Que eu fui o melhor, que eu fui o pior, e é isso aí
E se eu tenho o seu amor, pra que pedir
E se eu tenho o seu amor, pra que pedir
Não quero o seu perdão”

A música que fecha Canções Dentro da Noite Escura é A gente vai se amar, que no Acústico MTV Lobão gravou ao lado da Cachorro Grande. Para um depressivo que não conseguia ver esperança nas coisas, mais um pouco de calor com o trecho final da música. “E depois da escuridão/ Haverá um lindo sol/ E a gente vai se amar/ E a gente vai se amar/ E a gente vai se amar”

Escrevi esse “pequeno” depoimento para avisar que Canções dentro da noite escura está nas plataformas digitais. Também para dizer que sempre que tratou comigo o Lobão foi extremamente afetuoso. Inclusive no último encontro, em junho de 2018, ele comentou do time que eu torço… Achei que disfarçava bem. O Lobão é um artista fundamental para eu seguir vivo, isso pesa mais que qualquer discordância política. Era isso, amigos. 😊

Foto de destaque: Anatole Klapouch/ Divulgação

2 comentários em “Um “pequeno” depoimento”

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: