A vida em casa com covid-19

Eu ando com uma lista aqui do meu lado de coisas para fazer. Tem diversas pautas atrasadas do Conexão Grenal. Tem clientes que acabaram ficando sem o devido suporte e estão sendo extremamente compreensíveis comigo.

Eu tinha planos para o final do Brasileirão e da Copa do Brasil. Tinha ideias para o começo do Gauchão e da temporada 2021 de futebol. Porém esse texto é sobre como a vida atropela a gente. No dia 22 de fevereiro a Daiane, minha namorada, apresentou os primeiros sintomas da Covid-19.

A Dai trabalha em banco então ela é obrigada a sair para ir trabalhar, mesmo que sua função possa ser feita de maneira remota. No dia 22 ela estava trabalhando com sintomas da Covid. No dia seguinte eu apresentei sintomas leves como um incômodo na garganta e tosse seca. Neste dia a Dai não foi na sua agência. Testamos na quarta-feira, 24. O meu teste deu negativo, ela positivou.

Ela adorou essa foto. Confesso, eu também curto.

A telemedicina do banco foi acionada e ela começou a desenvolver uma pequena infecção bacteriana na garganta, por isso a médica receitou azitromicina. Sabemos que o “coquetel Covid” não tem efeito algum, mas como era para a infecção bacteriana, a Dai tomou a medicação.

Eu seguia com febre, cansaço, dor no corpo, indisposição e tosse. A Daiane tinha os mesmos sintomas, mas também enjoo, vômito e diarreia. Depois de passar o domingo, 28, com dor no corpo eu tomei um relaxante muscular e consegui melhorar, embora os sintomas de tosse e febre baixa continuassem.

Neste mesmo dia enquanto a Dai descansava, eu medi sua saturação e ela estava entre 88 e 91. Fiquei preocupado. Ela comentou que a respiração estava curta. Na segunda-feira, 1º, ela reclamava mais do enjoo até do que da tosse. A Daiane conseguiu falar com um médico na terça-feira, 2, de manhã. No período da tarde fomos até o Hospital Mãe de Deus. Lá ela fez soro, tomografia do tórax e foi internada. A Dai voltou a sentir fome depois de fazer soro. Eu fiquei animado que logo ela saísse.

Virada de ano de 2020 para 2021.

Já na quarta-feira, 3, ela me avisou que seria transferida para a CTI, Centro de Terapia Intensiva. Por uma frescura infantil eu prefiro chamar de CTI do que UTI. Digo frescura infantil pois lembro da minha mãe falando “última tentativa do indivíduo” e isso me causa uma certa ansiedade. Não quero pensar que lá é a última tentativa de deixar a mulher que eu amo curada de uma doença “instável”.

Na quinta-feira, 4, a Dai me manda uma mensagem por volta das 22h. “Amor, vou ser entubada. Não sei por quanto tempo. Reza”. Eu não sou de rezar. Eu acredito em Deus, mas eu tenho minha fé ao meu jeito. Ali eu comecei a rezar. Falei com minhas irmãs, meus pais, minha psicóloga, amigos, amigas… Eu tentei ainda saber como a Dai estava se sentindo, eu queria falar com ela, mas o procedimento foi rápido. Ela me avisou e foi entubada.

Amor, vou ser entubada. Não sei por quanto tempo. Reza.

Eu desabei. Eu, com covid, não conseguia comer. Eu sentia fome, mas nada me atraia. Vocês poderiam me oferecer o prato mais saboroso do mundo e eu não iria conseguir comer. Eu estava só pensando na Daiane. Só emanando pensamentos positivos para a minha Dai. Na sexta-feira, 5, o médico conversou com a minha irmã e disse que o quadro era gravíssimo. Comecei a tomar remédios para dormir. Precisava entrar no eixo para esperar a Daiane voltar.

No sábado, 6, a notícia já foi melhor, o quadro não havia piorado, estava estável. No domingo, 7, ela já apresentou algumas melhoras quando em posição de prona. Na segunda, 8, os médicos comentaram que ela estava reagindo bem aos medicamentos a infecção no pulmão estava controlada e ela já começava a fazer fisioterapia. Na terça-feira, 9, mais uma notícia positiva. Os médicos estavam começando a retirar os sedativos e ela estava respondendo bem, inclusive se movimentando no leito.


https://simullacoes.com.br/audio/depoimento-thales-o-globo-daiane.mp3
Depoimento ao podcast Ao Ponto do jornal O Globo. Leia a matéria completa aqui.

Não existe, neste momento, uma previsão de alta para a Daiane. Existe uma grande rede de oração e fé para que logo ela volta para casa curada. Nós estamos recebendo notícias cerca de duas vezes por dia sobre seu estado de saúde.

Atualização 10/ 03/ 2021 – Os médicos seguem removendo os sedativos, o que tem deixado a Dai mais agitada. Ela está fazendo fisioterapia e a saturação está boa. Creio eu que nesta quinta removam totalmente os sedativos e extubem ela até o final de semana. Seguimos na torcida. Sempre que tivermos novidade, postaremos aqui.

Atualização 11/ 03/ 2021 – Infecção dos pulmões não preocupam tanto, está mais ou menos controlada. O que preocupa no momento é a agitação quando começa a ser retirada a sedação. Eles esperam um despertar mais suave para fazer novos exames.

Show da Elza Soares em março de 2020. Último show antes da pandemia.

O quadro geral é positivo. Só essa agitação dela, algo normal, que tem atrapalhado a evolução positiva. Ah! Ontem, quando chamada pela enfermeira, ela abriu os olhos. Estamos indo bem. Vai dar tudo certo.

Atualização 12/ 03/ 2021 – O quadro se mantém o mesmo. Ela está bem, mas segue agitada quando começam a retirar os sedativos. Os médicos conseguiram fazer uma tomografia do cérebro e, preliminarmente, está tudo certo. Eles estão esperando ela se acalmar para retirarem os sedativos e fazer uma ressonância.

Atualização 13/ 03/ 2021 – A notícia boa de hoje é que a Daiane não tem febre. Isso é muito positivo. A inflamação dos pulmões segue controlada e ela é mantida sedada e entubada. A Dai se mantém agitada, o que acaba atrapalhando um pouco a evolução positiva do quadro. Seguimos rezando, mandando energias positivas e logo ela estará em casa. Tudo no tempo dela.

Eu, Amy e a Dai. <3

Atualização 14/ 03/ 2021 – A Dai segue agitada e os médicos estão ajustando os sedativos para ver se conseguem acalma-la. Essa agitação acaba interferindo na saturação e no tratamento do pulmão. O quadro da inflamação está controlado. Que essa semana seja de boas notícias.

Atualização 15/ 03/ 2021 – Hoje quem foi ver a Daiane no hospital fui eu. Estava impossibilitado por causa da Covid, fiz minha quarentena e agora estou liberado. Mesmo assim sigo utilizando máscara de proteção facial e álcool gel. Talvez mais do que usasse antes de pegar o vírus.

Sobre a Daiane o quadro dela evolui bem, porém segue muito agitada. Isso deve forçar os médicos a fazer uma traqueostomia nela, realizando assim a extubação. Com a traqueostomia sendo realizada, os sedativos podem ser retirados e ela vai evoluir melhor. Podendo inclusive começar a se comunicar. A semana será de notícias boas. Vamos em frente.

Dia de São Patrício de 2020. Não era bem o dia, mas já estávamos festejando.

Atualização 16/ 03/ 2021 – Por mais que tu esteja preparado, consciente e tranquilo para a possibilidade de uma traqueostomia quando o telefone toca e é o médico falando que foi solicitado e precisa de uma autorização para que seja feita, a coisa pesa.

Ontem um dos médicos que estão cuidando da Daiane comentou que ela estava evoluindo bem e que a agitação estava atrapalhando, com isso eles teriam que fazer uma traqueostomia para tentar acalmar ela, removendo o tubo da boca. Faz 12 dias que a Dai está entubada.

Eu fiquei bem animado ontem quando fui ao hospital e a vi. Sei que essa semana será mais positiva, mas agora, nesse momento, a coisa deu uma pesada. Hoje de tarde volto para fazer uma visita e assinar a autorização. É a melhor chance que ela tem de se recuperar. Preciso fazer.

Dai e as pequenas. Bailey e Lily.

Fui ao hospital visitar e vi a Daiane muito agitada. Eu entendo o incômodo dela. Num momento a enfermeira abriu um pouco a porta para eu poder falar com a Dai, mesmo de longe. Quando falei o nome dela, ela abriu os olhos como se estivesse me procurando. Foi rápido, ela não me viu, segue sedada, mas foi emocionante.

Quinta-feira ela faz a traqueostomia. É o caminho para a recuperação ser mais acelerada e para ela ficar mais calma. Logo ela estará em casa. Essa semana eu estou muito feliz, eu senti vida ali. É bom encontrar com ela. Seguimos fortes rezando e emanando pensamentos e energias positivas.

Outra foto da festa de 30 anos da Dai.

Atualização 17/ 03/ 2021 – Começo hoje as informações sobre a Dai de uma maneira um pouco diferente. Cito primeiro o áudio enviado pelo médico por volta do meio dia onde ele diz que a condição pulmonar dela é boa, tem evoluído de maneira satisfatória. Isso é uma grande notícia.

Amanhã, às 8h 30, ela fará a traqueostomia que visa acalmá-la e assim facilitar a remoção dos sedativos. Embora a minha ansiedade de ter logo ela interagindo e, em casa, precisamos compreender o tempo dela.

Hoje, quando fui visitar ela no hospital a enfermeira se paramentou e foi falar com ela. A enfermeira fez uma pergunta e ela fez “sim” com a cabeça. Ela ouviu minha voz e se acalmou um pouco. Segue muito agitada, vamos torcer para que com a traqueo a agitação diminua e as coisas avancem mais rápido. Vamos em frente!

Família que chama, né?

Atualização 18/ 03/ 2021 – A Daiane fez hoje de manhã, às 8h 30, a traqueostomia. Isso livra ela do incômodo causado pela intubação, embora ela siga com auxílio de respirador. A tentativa de acalmá-la parece que está dando resultado. Hoje quando encontrei com ela no hospital ela estava menos agitada. Principalmente em comparação com ontem.

Amanhã ela deve fazer ressonância e tomografia. É necessário fazer essa avaliação neurológica e dos pulmões. Dai está sedada desde o dia 4, hoje fazem 14 dias. É preciso compreender o tempo que o organismo dela levará para deixar a sedação e reagir de maneira mais normal. Todavia, seguimos confiantes. As notícias são boas.

Atualização 19/ 03/ 2021 – A Daiane me abanou. Só essa frase já serviria de alívio e animação, mas tem mais coisas. A Dai teve seus sedativos suspensos. Ela estava grogue a hora em que fui visitá-la.

Show do Camisa de Vênus, em 2019.

Com as mãos livres ela acabou arrancando a sonda nasal. Eu chamei uma enfermeira que, equipada, entrou no box onde a Dai está e amarrou sua mão. Algo normal para essas situações em que o paciente está tendo seus sedativos retirados. Foi nesse momento, com a porta entreaberta, que a enfermeira perguntou se a Dai me conhecia, foi aí que ela me abanou.

Só isso já encheu meu coração de afeto, carinho e esperança. As coisas estão indo bem. Depois disso ficamos nos olhando pelo vidro até a hora de a visita acabar. Antes de ir embora perguntei para uma enfermeira sobre alguns exames que havia autorizado ontem. Ela não tinha o retorno, mas disse que a Daiane estava “muito bem”.

A semana foi recheada de notícias boas. Que siga assim nos próximos dias e que, em breve, ela possa vir para casa. As pequenas, a Amy e eu estamos esperando por ela. Seguimos firmes.

Eu amo ele.

Atualização 20/ 03/ 2021 – Primeiro a parte médica, depois a parte romântica. Sobre a parte médica. A Dai evolui bem. Eles estão removendo o respirador dela. Isso acontece por fases. Neste momento ela está ficando 1 hora de manha, outra de tarde e mais uma de noite sem o aparelho. Na próxima etapa ela ficará 3 horas sem o suporte. No período da visita ela estava sem o respirador e informou a enfermeira que não sentiu falta de ar neste período.

Agora a parte do amor. Quando cheguei a Dai estava com os olhos fechados. Ela abriu, me viu atrás do vidro e me abanou. Logo depois a enfermeira avisou que ia religar o respirador. Antes disso perguntou para a Dai se ela me conhecia. Ela disse que sim. A Enfermeira perguntou se eu era irmão dela. Ela negou. Se eu era namorado. Ela confirmou. A enfermeira questionou se ela queria me escrever uma mensagem. Ela confirmou e foi abastecida com uma caneta e um pedaço de papel.

Faltou força, algo normal devido ao tempo que ela ficou sedada. A enfermeira percebendo a dificuldade dela pediu para ela falar a mensagem que ela queria escrever e que ela me repassaria. Não foi preciso. Eu vi a Daiane balbuciando “eu amo ele”. Depois de um tempo eu consegui falar com ela. Disse que o pai dela estava bem, que as gatas e eu também estavamos bem. Que era para ela ficar calma que ela estava melhorando e logo estaria em casa. No domingo volto para visitar. A semana que passou foi especial, mas a que começará em breve será melhor ainda. Seguimos em frente.

Primeiro contato após quase três semanas de internação. Amor e força.

Atualização 21/ 03/ 2021 – Depois de 18 dias na CTI a Daiane foi para a Sala de Recuperação Intensiva (SRI). Foi complicado achar ela, mas consegui. A foto acima ilustra um dos momentos mais esperados nos últimos dias. Eu precisava tocar na Dai, sentir ela. Esse toque, mesmo com luvas, aconteceu hoje no final da tarde.

A Dai evolui bem. Já não tem mais sedativos e estão retirando o respirador dela aos poucos. Ela ainda não fala, mas movimenta a boca e é possível fazer leitura labial. Foi assim que entendi que ela queria saber quanto tempo estava no hospital. E também queria saber sobre o Trabalho. Isso é a cara da Daiane.

Teve muito carinho, afeto e risadas no período que estive ali sentado ao lado dela. A semana foi de evolução e notícias positivas, que siga sendo assim. Em breve ela irá para o quarto e logo estará em casa. Só darei a guerra ganha quando ela estiver em casa com as pequenas. Está tudo caminhando para isso. Vamos em frente.

Nossa primeira foto juntos.

Atualização 22/ 03/ 2021 – Dia foi corrido e eu quase ia esquecendo de atualizar as notícias da Dai. É que ela está evoluindo bem. Os médicos já estão removendo ela do respirador, seguindo aquela ideia de fortalecer os pulmões. Em breve ela deve deixar a área da Covid e irá para o quarto. A Dai comentou que depois que fecharem a traqueo ela conseguirá falar. Por enquanto a voz dela não sai. Então só pela leitura labial. O que eu não sou lá muito bom.

Antes de contar como foi a visita, quero falar como foi o começo do nosso namoro. Uma coisa engraçada. Eu pedi a Dai em namoro. Ela aceitou e namoramos três dias. Ela terminou, mas continuamos ficando. Dia 12 de maio de 2018, quando comemorei meu aniversário, ela foi conhecer meus pais. Antes de entrarmos no bar onde rolaria a “festa”, ela me pediu em namoro. Então eu fui pedido em namoro na calçada na entrada do bar.

Corta para hoje. Estamos de mãos dadas quando ela pega e passa o indicador no anelar dela e no meu. Eu pergunto o que significava aquilo. Se era aliança. Ela confirma e diz que agora temos que casar. Eu digo que primeiro ela precisa sair de lá. Mal sabe ela que as alianças foram compradas no sábado. Sim, vai rolar pedido de casamento. Agora, preciso saber quem chega primeiro. Ela ou as alianças?

A Dai segue evoluindo bem. Todavia a guerra só estará ganha após ela voltar para casa. Seguimos rezando, com pensamento positivo e boas vibrações. Logo ela estará de volta. Ah! Não sei se acertei o tamanho, mas o sim foi garantido hoje. Vamos em frente.

Senhoras e senhores
Trago boas novas
Eu vi a cara da morte
E ela estava viva, viva
Eu vi a cara da morte
E ela estava viva – viva!”

Boas Novas – Cazuza

Atualização 23/ 03/ 2021 – Citei Cazuza por que passamos por dias nebulosos. Hoje o dia amanheceu ensolarado e com um céu azul, mesmo na nublada Porto Alegre. Pela manha recebi uma ligação do hospital. A Daiane havia pedido o celular dela. Sim, ela recebeu alta da CTI e agora de tarde foi para um quarto fora da área de Covid. Ela testou negativo.

Só a informação recebida pelo telefone já bastava para uma festa. No período da tarde acompanhei a chegada dela ao quarto do hospital. Após os enfermeiros receberem e organizarem as coisas, me encontrei com ela. Foi a primeira vez em três semanas que demos as mãos, sem luvas. Ela viu o celular, viu o volume imenso de mensagens no WhatsApp, mas não ficou com o aparelho.

A Dai precisa descansar para se recuperar bem. Mesmo ela tentando negociar dizendo que era para falar comigo, não liberei. Ela precisa de calmaria para se fortalecer mais. Sem falar que ela poderia descobrir a surpresa que estou preparando.

No bar onde nos conhecemos.

Durante nossa conversa ela comentou da perda de força causada pelo Covid. Para terem noção ela não conseguiu desbloquear o telefone. Ela me perguntou da final da Copa do Brasil. Comentei que fazia chamadas de vídeo com os meus pais e ela perguntou se eles já haviam voltado de Rosário. Confirmei e disse que voltaram quando ela foi intubada. Ela se surpreendeu com essas informações.

No momento de maior emoção ela ouviu o áudio que a psicóloga dela me encaminhou na sexta-feira. Foi aí que ela chorou. Tinha outras mensagens para mostrar, mas acabei segurando por que quero ver ela bem, forte, recuperada. Achei prudente não mostrar tudo o que chegou agora. Vamos com calma. Logo ela estará em casa. Seguimos.

Atualização 24/ 03/ 2021 – A Daiane segue em evolução e está ansiosa para voltar para casa, embora saiba que isso deva demorar mais alguns dias. Amanha ela deve passar por alguns exames para verificar como estão os pulmões. A oxigenação do sangue está boa. Ela segue recebendo oxigênio pela traqueostomia, mas isso deve ser alterado nos próximos dias.

Em abril de 2019 no aniversário da Tia Carla.

Passei cerca de uma hora com ela na tarde de hoje. Conversamos e ela falou da saudade de casa, das gatas e da rotina. Hoje ela conseguiu escrever, embora longe da sua caligrafia normal. Daiane perdeu força, caminha no quarto amparada pelas enfermeiras. Por sorte ela compreende a maravilha de ter sobrevivido aos piores momentos da Covid. Compreende o período de recuperação e sabe dos desafios que terá nas próximas semanas em sua reabilitação.

Amanhã eu não devo ir ao hospital. Uma das minhas irmãs deve fazer a visita. O mesmo deve acontecer na sexta-feira. Tendo informações eu atualizo esse espaço. Ok? Seguimos firmes. A guerra só estará ganha com ela em casa.


A recuperação da Daiane é uma vitória dela;
A recuperação da Daiane é uma vitória do Thales;
A recuperação da Daiane é uma vitória da família, dos parentes, dos amigos; dos colegas de trabalho, dos vizinhos, dos IIR.:, dos conhecidos e até de pessoas desconhecidas que oraram e que continuam orando por ela e que viveram conosco a dor do perigo iminente da perda.
Agora fora da UTI e já no quarto, em pleno processo de recuperação, gostaríamos de agradecer a todos, pelo carinho, atenção, pelas orações, pela fé, pelas energias positivas, estamos ciente da importância de cada um de vocês ao nosso lado.
Muitíssimo obrigado e que Deus proteja a todos.

Jorge Barreto e família.


Atualização 25/ 03/ 2021 – Quem foi encontrar a Dai hoje foi a minha irmã mais velha, a Patrícia. A Daiane segue evoluindo positivamente. Hoje ela fez um exame no pulmão e trocou algumas partes da traqueostomia. Com isso ela já consegue falar, embora a voz saia bem baixa.

A Dai tem pedido o celular dela, ainda estou resistindo a ideia de deixar ela ter acesso ao telefone. São muitas informações e, neste momento, ela precisa de um pouco mais de tranquilidade. Sei que se ela tiver acesso ilimitado ao telefone, certamente logo estará trabalhando, mesmo sem ter saído do hospital.

Assim como ela, acredito que na próxima semana a Daiane já estará em casa. No hospital ela tem feito fisioterapia, tratamento que deve ser mantido quando ela voltar para casa. A Dai vai precisar recuperar a força física e terá que fazer exercícios para a fala, além de fortalecimento dos pulmões. Seguimos esperando ela por aqui. A volta está cada vez mais perto. Vamos em frente.

Saudade é o que mais sinto nessas últimas semanas.

Atualização 26/ 03/ 2021 – Depois de 22 dias eu voltei a ouvir a voz da Dai. Eu não fui ao hospital ontem e hoje. Quem visitou a Daiane nesses dois dias foram as minhas duas irmãs, uma em cada dia como manda o protocolo do hospital. Hoje rolou um áudio – que eu vou deixar aqui em baixo – dela me dando uma bronca por eu não ter ido. Embora eu tivesse combinado previamente com ela na quarta-feira.

Ela pegou uma bactéria do hospital que foi detectada dia 22. A enfermeira falou que é normal devido ao longo período de tempo intubada, mas recomendou o uso de avental e luvas para os visitantes. A Dai fez direitinho a fisioterapia e já foi liberada para beber água. Ela ainda segue sem previsão de alta.

Uma coisa que chama a atenção é a insistência louca da Dai pelo celular. Eu entendo ela, juro, mas o foco agora precisa ser a sua recuperação. Caso o aparelho ficasse com ela, eu tenho certeza absoluta, que ela já estaria trabalhando na segunda-feira. Eu conheço a Dai. Amanhã ela terá uns minutos com o telefone dela durante a minha visita. Vamos em frente. Logo logo ela estará em casa. Ah! O novo Groot já está aqui. Só falta aquele outro detalhe. 😉


https://simullacoes.com.br/wp-content/uploads/2021/03/whatsapp_daiane_26_03_2021.mp3
Primeira mensagem em áudio da Dai em 22 dias.

Atualização 27/ 03/ 2021 – Depois dessa “bronca” que ela me deu no áudio aqui de cima, eu precisei ir ver ela na tarde de hoje. A evolução da Daiane é super positiva. Ela já pode comer alimentos sólidos neste final de semana. A nutricionista esteve lá e falou que só estava esperando a autorização do médico. Ela já está fechando a traqueostomia. Tem recebido oxigênio por um caninho no nariz, o que facilita bastante as coisas.

Ela conversou comigo e teve acesso ao celular por alguns minutos. Nesse período pagou alguns boletos, controlou a conta bancária e deu uma olhada nas redes sociais. Eu mostrei para ela um áudio que a psicóloga da Dai me mandou essa semana exatamente sobre a questão de deixar ou não o celular com ela. Isso ajudou bastante na nossa conversa para eu trazer o aparelho para casa. Ela se emocionou a ler alguns recados no WhatsApp e respondeu algumas pessoas.

O domingo será de notícias melhores, tenho certeza disso. Ainda não temos uma previsão de alta confirmada pelos médicos, mas acredito que entre o meio e o final desta semana ela deva retornar para casa. Ficamos na torcida e vamos em frente. Logo ela estará por aqui.

Amy e Dai.

Atualização 28/ 03/ 2021 – Eu avisei que as notícias nesse domingo seriam ainda melhores, né? Então. A Daiane já está se alimentando via oral e comendo alimentos sólidos. A traqueostomia foi fechada na manhã de hoje. O médico esteve no quarto dela e retirou os equipamentos. Ela está só com um pequeno corte no pescoço.

Um dado super positivo é que ela ficou sem o oxigênio durante toda a minha visita e a saturação ficou entre 89 e 95, se mantendo a maior parte do tempo entre 92 e 94. Embora os médicos ainda não tenham dado uma previsão de alta, acredito que entre o meio e o final desta semana ela volte para a casa.

Outra coisa, ela me pegou desprevenido e ficou com o telefone neste domingo. Como o quadro é bom e ela está evoluindo bem, resolvi “permitir” que ela ficasse com ao aparelho, amanhã eu trago ele de volta para casa. Ela prometeu não ficar muito tempo nas redes sociais ou lendo mensagens no WhatsApp. Ela sabe que precisa ir com calma e se cuidar também. Lembrando que só darei o jogo ganho com ela em casa. Seguimos.

De volta ao Malvadeza, em Fevereiro de 2020.

Atualização 29/ 03/ 2021 – A evolução da Dai é algo encantador. Hoje ela conversou com o médico dela e ele disse que ela deve vir para casa na próxima semana. Antes disso mudará de quarto mais uma vez. Estão esperando apenas o retorno de um exame, sobre uma bactéria hospitalar para que ela seja transferida.

Hoje a saturação dela me chamou a atenção positivamente. Ficou oscilando entre 92 e 96. Ela pediu para a fisioterapeuta para fazer exercícios de fortalecimento dos pulmões, mas a fisio disse que ela precisa ganhar força muscular. A Daiane não vê a hora de voltar para casa.

Estamos na reta final desta fase de recuperação. Acredito que a evolução dela seja muito positiva e isso tem me motivado bastante. A Dai é uma guerreira. A força dela é incrível. Suspeito que nem ela saiba a força imensa que tem. Seguimos por aqui. Falta pouco para ela voltar para casa.

Carnaval de 2020.

Atualização 30/ 03/ 2021 – A Daiane saiu hoje da unidade de cuidados especiais e, agora sim, foi para um quarto. A próxima fase é vir para casa! Isso deve acontecer até o começo da semana que vem. Eu adoraria que o médico permitisse que ela passasse a páscoa em casa. Seria especial, mas entendo que ela precisa estar forte o suficiente para receber alta.

A evolução dela é boa. Hoje fiquei cuidando o oxímetro durante a visita e ficou entre 94 e 96. Teve pico de 97 e o mínimo foi de 91. Confesso que isso me deixou mais tranquilo, ele estar normalizando me anima que logo ela venha em segurança para casa. Estamos na reta final dessa parte da recuperação. Depois disso o foco será a recuperação física, que segue pegando.

Quando cheguei para visitá-la ela estava caminhando nos corredores com o auxílio da fisioterapeuta. Ainda fez mais um exercício antes de sentar para conversar comigo. Ela estava animada com a mudança de quarto. Está com saudade das gatas. A Dai comentou do cansaço físico, não respiratório. Isso é um ponto que deverá ser mais trabalhado depois que ela vier para casa. Seguimos expectativa. 🙂

Atualização 31/ 03/ 2021#DidaduraNuncaMais | Vamos com notícias da Daiane. Ela hoje de manhã retirou a sonda nasal e já está com a dieta liberada. O foco agora é a recuperação física, já que ela perdeu força nos 14 dias intubada e nos cerca de 20 dias na CTI. Ela deve voltar para a casa nos próximos dias. Os médicos só vão observar a alimentação dela nesse período e irão liberá-la.

Na sexta-feira, dia 2, fecha um mês que a Dai foi internada. A falta que ela faz aqui é imensa. Será uma páscoa extremamente feliz se ela passar em casa, ao meu lado. Vamos torcer por isso. Em frente!

Atualização 01/ 04/ 2021 – Não é brincadeira de 1º de Abril. Neste sábado, dia 3, a Daiane vai voltar para casa! Ela me ligou agora no final da tarde pedindo páscoa, perguntando se eu havia comprado chocolate. Eu não comprei nem Bis. Então foi aí que ela comentou que deve receber alta no sábado! Eu não tenho palavras para descrever a felicidade que é receber essa notícia.

Eu preciso agradecer a equipe médica do Hospital Mãe de Deus que deu todo o suporte para que a Dai se recuperasse bem. Quero agradecer a todos que rezaram por ela, que mandaram energias positivas e se mobilizaram pela melhora da Daiane. Sábado eu atualizo com mais novidades e fecho este post. Seguimos!

Atualização 02/ 03/ 2021 – Hoje faz um mês que a Daiane está internada. Os batimentos cardíacos ainda estão altos, embora ela esteja com a pressão normal. A previsão de alta segue mantida para este sábado, 3. Ela está muito ansiosa, doida para voltar para casa e com muita saudade das gatas.

Nesta sexta-feira saiu uma matéria sobre Covid-19 entre jovens adultos na Revista Época. O caso da Daiane é um dos retratados na matéria, trazendo um pouco de esperança em um momento tão pesado como o país vive. A matéria pode ser lida neste link, porém é fechado para assinantes.

Atualização 03/ 03/ 2021 – Um mês e um dia depois a Daiane deixou hoje de manhã o Hospital Mãe de Deus, em Porto Alegre, para voltar para casa e reencontrar as pequenas. Ela foi liberada pela equipe médica e deve retornar em 15 dias para uma avaliação. Foi recepcionada pelos familiares e carregou um cartaz com os dizeres “Venci a Covid” produzido pelos sobrinhos Pietro e Valentina.

Na chegada em casa foi recepcionada pelas gatas e pedida em casamento (E ela aceitou!). Agora é hora de descansar e começar a segunda etapa que será de fisioterapia e reabilitação. Quero agradecer a cada um de vocês que me acompanhou nesta jornada de um mês. Não foi fácil, mas conseguimos superar toda essa dificuldade. Muito obrigado por tudo. Abraços.